Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

Já está na rua a campanha do CDS. "A força da mudança" é o slogan da candidatura que ambiciona conquistar a autarquia do Bombarral e devolvê-la ao CDS vinte e quatro anos depois da presidência de José Maria Guilherme. A candidata do partido é Rosa Guerra, jurista de 51 anos, "filha da terra" como se auto-intitula, que deu a conhecer a sede de campanha ao bombarral2013. O espaço está localizado na Avenida Inocência Cairel Simão, e é a partir de lá que o CDS pretende voltar a ganhar espaço na vida política bombarralense.

 

 

No dia 5 de Agosto, Rosa Guerra era uma mulher ansiosa. Alguns atrasos fizeram com que o partido (à semelhança do PS e PSD) só conseguisse entregar as listas no tribunal no último dia estipulado pela Comissão Nacional de Eleições para o efeito. Para a candidata, tratava-se do culminar de uma longa jornada que começara em Maio de 2010, quando chegou à liderança da Comissão Politica concelhia. Desde então, as portas do CDS "estão abertas para todas as pessoas, quer sejam filiados ou não filiados" que acreditem ser possível «mudar» o Bombarral. 

 

Natural da Columbeira, Rosa Guerra referiu que, quando chegou, "um papel fundamental foi limpar a imagem que o CDS tinha no concelho, devido a diversas situações menos correctas". O desafio tinha-lhe sido lançado meses antes por Manuel Isaac, deputado centrista natural das Caldas da Rainha. Rosa Guerra aceitou o repto e deparou-se com um cenário exigente. Quando solicitou a listagem, percebeu que a concelhia contava apenas com 20 militantes. Como nos contou, a solução foi ir cativando pessoas que se tinham afastado, "batendo porta-a-porta" angariando militantes e procurando pessoas mais antigas entretanto esquecidas pela estrutura partidária. Actualmente, orgulha-se de contar com cerca de 200 militantes e está convicta de que "hoje a imagem do CDS já é diferente".

 

Crítica da gestão do PSD à frente da autarquia, Rosa Guerra defende que "as pessoas não querem caridade", privilegiando a criação de condições para o desenvolvimento da economia local, citando casos de empresas que se afastaram do Bombarral porque não foram criadas condições para que aqui investissem  "fugindo para outros concelhos vizinhos, como Óbidos". "É fundamental criar estruturas e condições para que os empresários que já cá estão, ou outros que possam vir, tenham capacidade de estruturar a sua vida empresarial e promover assim o desenvolvimento económico para que o Bombarral volte a ganhar vida".

 

Ao seu lado como candidato à Assembleia Municipal tem José Pires, sociólogo natural do Bombarral com uma intensa carreira internacional enquanto diplomata das Nações Unidas. O bombarral2013 publicará em breve uma entrevista onde José Pires revela ter sido convidado para concorrer à Câmara Municipal pelo PS. Para a união das freguesias de Bombarral e Vale Covo, o CDS aposta em Mariana Costa (candidata que ficou a 3 votos de vencer a Junta de Freguesia do Vale Covo em 2009); no Carvalhal Simão Cardeal; e na Roliça Maria Madalena Santos.

 

 



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.